Histórias…

Hoje abro-te o meu coração. De todas as formas, sem o teu, ele é-me inútil… não bate como deve ser… por si só seria incapaz de me fazer acelerar o sangue nas veias. Descobriu, talvez um pouco a custo, que só quando te procura encontra o ritmo certo para pulsar dentro do meu peito e que só quando bate ao compasso do teu é capaz de encontrar o caminho para casa…
Não vais ouvir-me dizer que o amor é um mar de rosas. Só quem nunca viveu uma história consegue ser tão ingénuo. Sim, seria talvez melhor acreditar que o romance é imune a desentendimentos… Mas ambos sabemos que não é assim… Nem sequer o amor consegue evitar cair em rotinas e até ele magoa de vez em quando e dói tanto mais porquanto lhe abrimos as portas da alma de par em par na ânsia de nos expormos por completo, quedando-nos totalmente vulneráveis… 
Mas, sabes que mais? Eu quero mais e mais deste amor que partilho contigo, mesmo que ele por vezes me doa por dentro. Vale a pena só pelo privilégio de poder encostar o meu ouvido ao teu coração e ouvi-lo tocar as notas do meu nome… Porque ele ainda o faz, não é verdade?…

Desconheço o autor


About this entry