Ser Poeta – Marilena Frade

Ser poeta é desvendar da alma todas as tristezas, dores e alegrias.
É sonhar acordado!
É estar no amor, na luz ou nas trevas, amordaçado!
Ser poeta é enxergar rimas em todos os momentos da vida!
Quando nasce, vibra, entontece e só nos versos se equilibra!
O poeta é aquele que amortece suas dores e seus anseios;
quando enlouquece, quando ama e quando vislumbra todas as cores do arco-íris!
O poeta se encharca de palavras, de momentos mágicos, de aconchegose de torturas!
O poeta adormece nas sombras da luz de vela e da Lua,
E se perde nos amores, nos desejos loucos e lúcidos!
Ser poeta é montar e desmontar, armar e desarmar todas as palavras num verso!
Basta ter na vida um reverso que ele se revela:
Tímido, doce, louco, apaixonante, apaixonado, amante, amado!
Poeta é aquele que fecha a porta do coração quando quer recolher as flores da alma que dói!
É também aquele que abre a porta da alma e lança todas as pétalas fora!
O poeta é aquele que emudece, que se exalta e entristece! Que ri, chora e lamenta.
É aquele que os grilhões, arrebenta,
Mas nunca se sente livre das palavras e harmonias dos seus versos!
O poeta enaltece a sorte, a vida, apaixonadamente.
E morre entre rimas, sorrateiramente!
Ser poeta é esgueirar-se da solidão, para lavar a alma em harmonia,
Das palavras soltas, presas, sombrias e ternas!
É embebedar-se em cada frase com vinho suave de brisa!
Para que ela venha quebrada e doce; verde, certeira, confiante e eternamente prosa!
Ser poeta é enveredar-se por túneis sombrios que só ele conhece as saídas!
O poeta se encontra na ciranda da vida, que entrelaça as emoções e quimeras de uma paixão inteira! Não quer fugir da dor. Quer fazer do sonho, pequeno trampolim para mergulhar na alma que enlaça seus tormentos e paixões.
Ser poeta é ter a alma lavada, eternamente!

Marilena Frade


About this entry